MP investiga denúncia sobre condições dos servidores do SAMU

O Ministério Público Estadual do Trabalho abriu inquérito civil para apurar a situação dos servidores do SAMU do norte capixaba. No último dia 15, o deputado Callegari acionou o Promotoria Pública, solicitando providências.

Na denúncia apresentada pelo parlamentar, os profissionais do SAMU de 14 municípios da Região Norte (Água Doce do Norte, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Conceição da Barra, Ecoporanga, Jaguaré, Montanha, Mucurici, Nova Venécia, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, São Mateus e Vila Pavão) estariam com salários atrasados e sem equipamentos básicos de segurança para trabalhar: “Os servidores da saúde daquela importante região estão descontentes com os atrasos de salário. Além disso, existem médicos que desde 2020 só receberam um macacão para trabalhar, o que compromete o atendimento ao cidadão. Eles também afirmaram que são eles e os demais profissionais da saúde que esterilizam e desinfectam as ambulâncias”, apontou Callegari.

As investigações já estão em curso e o Ministério Público do Trabalho deve notificar a empresa contratada para prestação de serviço (Instituto Avante) e o Consórcio Público responsável pela fiscalização e pagamento (Cim Norte) presidido pelo atual prefeito de Nova Venécia André Wiler Fagundes para maiores esclarecimentos e providências. O deputado reiterou que vai provocar a Comissão de Saúde da Assembleia, da qual é membro titular. “Vou levar essa situação para a Comissão de Saúde da Assembleia e abrir investigação para saber o que realmente está acontecendo. Quero saber se o Cim Norte não está pagando a empresa ou se está pagando com atraso. Será que a empresa está recebendo e não está pagando os salários dos funcionários? Alguém está infringindo a legislação e nós vamos descobrir“.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECENTES

Clinica bem estar
Oliveira
Barra Imoveis
Agostinho
Comsauto
Emporio
pet
Emporio bsf
itaunas
Netmania
salgado