Trabalhadores dos Correios entram em greve hoje em todo paA�s

ParalisaA�A?o comeA�a a partir das 22h. Na segunda (12), TST julga o pagamento do plano de saA?de de parentes dos servidores

Os trabalhadores dos Correios de todo o paA�s entrarA?o em greve, por tempo indeterminado, a partir das 22 horas de domingo (11), de acordo com a FENTECT (FederaA�A?o Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e TelA�grafos e Similares).

O principal motivo da paralisaA�A?o A� que na segunda-feira (12), o TST (Tribunal Superior do Trabalho) vai julgar o pagamento do plano de saA?de dos funcionA?rios da estatal. Os Correios querem alterar a fA?rmula de custeio do convA?nio dos 106 mil servidores ativos, 30 mil inativos e seus dependentes.

Atualmente, nA?o hA? pagamento de mensalidade e a coparticipaA�A?o do beneficiA?rio A� de 7% do valor das consultas. PorA�m, a estatal quer bancar 100% do plano dos servidores e retirar pais, filhos e cA?njuges do convA?nio. De acordo com a empresa, os gastos com o benefA�cio cairiam de R$ 1,8 bilhA?o por ano para R$ 700 milhA�es. Ao todo, 390 mil pessoas sA?o beneficiadas com o plano de saA?de pago pela estatal.

No comeA�o do ano, em umas das negociaA�A�es entre servidores e a empresa, o ministro do TST, Manoel Pereira, propA?s que os Correios cobrissem 75% dos custos com o plano, e os funcionA?rios, os outros 25%, alA�m de retirar pais e mA?es da lista de dependentes. O sindicato nA?o aceitou a oferta.

Os Correios, em nota, disseram que aguardam a decisA?o do tribunal para tomar as medidas necessA?rias apA?s terem tentado exaustivamente um acordo com os representantes.A� A empresa alega que nA?o consegue mais sustentar as condiA�A�es do plano de saA?de.

JustiA�a suspende cobranA�a extra dos Correios no Rio de Janeiro

Contra a privatizaA�A?o

Para a FENTECT, os trabalhadores dos Correios serA?o prejudicados se precisarem custear o plano de saA?de de parentes diretos. Segundo a categoria, o salA?rio mA�dio dos Correios A� de R$ 1.600,00, o mais baixo das estatais.

Os funcionA?rios tambA�m discordam da posiA�A?o dos Correios de que A� o plano de saA?de um dos principais motivos do rombo nas contas da empresa. Conforme a federaA�A?o, o convA?nio representa de 8% a 9% da receita da estatal.

Para Suzy Cristiny da Costa, da diretoria da FENTECT, a direA�A?o dos Correios promove uma ideia de crise na estatal para que se justifique uma possA�velA�privatizaA�A?o no futuro.

a�� NA?s A?ltimos anos os Correios foram sucateados para chegar neste ponto e alegarem que a A?nica soluA�A?o A� privatizar.

AlA�m do plano de saA?de, os trabalhadores nA?o concordam com outras decisA�es da empresa como as alteraA�A�es no Plano de Cargos, Carreiras e SalA?rios, a terceirizaA�A?o na A?rea de tratamento e a suspensA?o de fA�rias. Eles tambA�m pedem a contrataA�A?o de novos funcionA?rios por concurso pA?blico, mais seguranA�a e fim dos planos de demissA?o.

Outro lado

Em nota, a estatal disse que a greve agrava ainda mais a situaA�A?o delicada que os Correios estA?o passando.

“A greve A� um direito do trabalhador. No entanto, um movimento dessa natureza, neste momento, serve apenas para agravar ainda mais a situaA�A?o delicada pela qual passam os Correios e afeta nA?o apenas a empresa, mas tambA�m os prA?prios empregados.

Esclarecemos A� sociedade que o plano de saA?de, principal pauta da paralisaA�A?o anunciada para a prA?xima segunda-feira (12) pelos trabalhadores, foi discutido exaustivamente com as representaA�A�es dos trabalhadores, tanto no A?mbito administrativo quanto em mediaA�A?o pelo Tribunal Superior do Trabalho.

ApA?s diversas tentativas de acordo sem sucesso, a forma de custeio do plano de saA?de dos Correios segue, agora, para julgamento pelo TST.

A empresa aguarda uma decisA?o conclusiva por parte daquele tribunal para tomar as medidas necessA?rias, mas ressalta que jA? nA?o consegue sustentar as condiA�A�es do plano, concedidas no auge do monopA?lio, quando os Correios tinham capacidade financeira para arcar com esses custos”.

COMPARTILHAR