Polícia prende homem acusado de manter a namorada amarrada por 36 horas

Um homem de 33 anos foi preso nessa terça-feira (21), suspeito de espancar a companheira, de 19 anos, e mantê-la amarrada com fita adesiva por cerca de 36 horas.

Vítima está internada (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

Vítima está internada (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Alexandre Câmera, a vítima, morava com o agressor há cerca de dois anos em união estável. O crime aconteceu no município de Posse, a cerca de 300 quilômetros de Brasília.

A jovem, Keilla Carneiro de Carvalho, disse à Polícia Civil de Goiás, em depoimento, que ela e o acusado, Leandro Sousa Sampaio, tiveram uma discussão na madrugada da última quinta-feira (16). O agressor teria batido a cabeça de Keilla contra o chão várias vezes. Segundoa  vítima, por volta das 5h, ele a amarrou e amordaçou com fita adesiva, deixando-a ao lado de um guarda-roupas e, em seguida, foi dormir.

A jovem só teria sido solta às 17 horas do dia seguinte. Leandro chamou a irmã, que é enfermeira, e outros familiares para analisar o estado da vítima. De acordo com o delegado, Keilla permanece internada, mas o não corre risco de vida.

Leandro Sousa Sampaio foi preso nesta terça-feira (21) (Foto:TV Anhanguera/Reprodução )

Leandro Sousa Sampaio foi preso nesta terça-feira (21) (Foto:TV Anhanguera/Reprodução )

O suspeito se apresentou na delegacia de Alvorada do Norte, na tarde dessa terça, e foi cumprido um mandado de prisão preventiva já expedido pela Justiça contra ele.

A princípio, Leandro responderá por lesão corporal e cárcere privado. O  delegado responsável pelo caso, Alexandre Câmera afirma que aguarda o laudo para que haja uma reavaliação do caso, pois é possível que se caracterize como uma tentativa de homicídio.

“Ele é uma pessoa de uma maldade sem tamanho. O crime que ele praticou não foi uma agressão comum, foi uma coisa muito cruel. Ela poderia ter morrido. Estou aguardando o laudo da Polícia Técnico-Científica para saber a gravidade das lesões. Ao final do inquérito, pode se caracterizar uma tentativa de homicídio”, disse o delegado.

Fonte: Tribunaonline