Na noite fria da Paulicéia, o Fla derrota o “Timão” por 1 X 0

Os 15 graus não impediram que o jogo se desenrolasse fogosamente e que Abel Braga abrisse vantagem sobre Fábio Carille na Copa do Brasil

Mesmo na noite mais fria da Paulicéia em 2019, nesta quarta-feira, 15 de Maio, exatos 30.693 espectadores se instalaram na Arena ainda-sem-nome de Itaquera para testemunhar a vitória do Flamengo sobre o Corinthians, 1 X 0, pela fase das oitavas-de-final da Copa do Brasil. Na história do confronto, foi o primeiro jogo do sétimo mata-mata entre os dois clubes de maior torcida do País. Nessas disputas, por enquanto, o placar apresenta um empate de 3 X 3 nos duelos e, nos tentos, agora, 14 X 14. O “Urubu”, contudo, obviamente mais perto de acabar com essa igualdade na contenda de volta do Rio.

Quando o cotejo principiou, a temperatura na Zona Leste da cidade prometia cair abaixo dos 16 graus. Tal circunstância, porém, não impediu que a partida se desenrolasse de modo razoavelmente aflitivo desde o apito inicial do árbitro gaúcho Anderson Daronco. Nos 45’, se provou mais incisivo o elenco rubro-negro de Abel Braga do que o alvinegro de Fábio Carille. Um Corinthians sem fome, aliás, na pugna de número 300 de Fagner com o seu uniforme, Everton Ribeiro e Arrascaeta desperdiçaram as principais chances de gol.

Apesar do ostensivo desentendimento entre Vagner Love e o platino Boselli no seu ataque, Carille, embora tenso, não usou o intervalo para alterar a sua escalação. A consequência: até os 55’, Cássio já havia efetuado três intervenções enquanto Diego Alves meramente escorava as pelotas recuadas. E, no departamento da beleza, piorou bastante a porfia na etapa derradeira. Entre os 56 e os 61, todavia, o treinador do Timão se mexeu, trocou Mateus Vital e Boselli por Pedrinho e Jadson. E imediatamente Danilo Avelar quase perpetrou 1 X 0, um tiro da linha da área que Diego Alves espalmou.

O arqueiro do “Urubu” voltou a salvar a sua meta aos 68’ num alçamento de Fagner que Vagner Love se aprestava a completar. Coube, então, a Abel Braga se movimentar. Aos 71, Diego no lugar de Arrascaeta. Instantaneamente, com um passe magistral, Diego colocou Bruno Henrique a um metro de Cássio, que outra vez fulgurou. E também Diego armou o lance do cruzamento de Bruno Henrique que encontrou a testada seca de Willian Arão, um ex-“Timão”, na infinitésima falha do miolo de zaga do alvinegro, Fla 1 X 0. Euforia dos 1.800 visitantes, acomodados num ângulo da Arena. Retorno, no Rio, em 4 de Junho.

FONTE: R7