Mulher que usava disfarce de homem para roubar é presa com alicate industrial em SP

Câmeras de edifícios flagraram ações em série da suspeita em imóveis na mesma rua. Segundo a polícia, mulher já conseguiu furtar cerca de 20 bicicletas em diferentes prédios.

Policiais militares localizaram e prenderam uma mulher apontada como autora de furtos em série a prédios em Santos, no litoral de São Paulo, informou a corporação nesta terça-feira (4). Ela se vestia com roupas masculinas para se disfarçar e cometer os crimes, que foram registrados por câmeras.

A localização da suspeita, identificada como Michele Nunes Gomes, ocorreu quando ela tentava novamente retirar uma bicicleta de um prédio no bairro Marapé. Contra ela, recaem mais de 20 crimes envolvendo invasão a edifícios e furtos de veículos e bens de moradores que ficavam em áreas comuns.

A suspeita foi flagrada pelos policiais com um alicate industrial, o mesmo provavelmente utilizado nos furtos a bicicletas trancadas com cadeados. Além disso, ela estava com um estilete e dois celulares, também sem procedência justificada. Ela foi encaminhada ao 2º Distrito Policial da cidade para averiguação.

Na delegacia, mais de dez vítimas, que registraram boletins de ocorrência anteriormente, a identificaram como a autora dos crimes. A polícia informou que Michele é usuária de drogas e que, possivelmente, furtava os bens para revendê-los no mercado paralelo, para poder comprar entorpecentes.

Crimes

Segundo a síndica, que pediu anonimato, de um prédio localizado na Rua Ministro Xavier de Toledo, no bairro Campo Grande, vizinho ao bairro Marapé, as invasões ocorrem desde junho deste ano nos imóveis da via. Na ocasião, a mesma mulher foi registrada invadindo um edifício para furtar bicicletas.

“Desde então, eu acredito que já foram 20 bicicletas furtadas, mais ou menos. Ela entra nos prédios e furta o que estiver à mostra, como capacetes de motos, mesmo com cadeado, ou outros equipamentos. Agora, ela está vestindo roupas de homem para não ser mais reconhecida”, reclamou a síndica.

A suspeita se aproveita de brechas na segurança dos prédios para poder invadí-los. “Muitos prédios não têm porteiros. Tivemos que trocar o portão eletrônico e trancá-lo com chaves. Da última vez, ela utilizou um alicate gigante para poder quebrar o cadeado de uma bicicleta”, relata a testemunha.

FONTE: G1