Mulher encontrada morta e concretada não foi primeiro caso no Estado

Em um dos casos de maior repercussão no Estado, o comerciante Marcos Itiberê Rodrigues de Castro matou e cimentou os filhos no closet do próprio apartamento

O caso do corpo da mulher encontrada morta e concretada dentro da obra de construção de um shopping mall na rua Gastão Roubach, na Praia da Costa, em Vila Velha, na manhã desta quarta-feira (10), não foi o primeiro registrado no Estado.

Um dos casos mais marcantes foi do comerciante Marcos Itiberê Rodrigues de Castro Caiado, que matou os filhos Marcos Itiberê Rodrigues de Castro Caiado Filho, de 9 anos, e Gabriela Colnago de Castro Caiado, 7, e os cimentou dentro do closet do próprio apartamento em maio de 2000.

No caso desta quarta-feira, a mulher não foi identificada e o corpo encaminhado ao Departamento Médico Legal (DML), em Vitória, para realização de exames que vão apontar a causa da morte.

A vítima estava de biquíni azul, short cinza e cropped branco e azul. Ela também tem uma estrela de Davi tatuada na panturrilha esquerda.

Confira outros casos que assombraram o Espírito Santo.

1 – Eguimar Ferreira de Souza

O vigia Eguimar Ferreira de Souza, de 53 anos, foi preso no dia 26 de outubro do ano passado, em Porto Seguro, na Bahia, acusado de assassinar e concretar a mulher dele, Adriana Silva Breda, morta aos 32 anos, em 2005, no bairro Zumbi dos Palmares, Vila Velha.

O crime só foi descoberto em 2014, após a venda da casa onde vivia o acusado e a vítima. O comprador do imóvel encontrou a ossada quando fazia uma reforma.

Eguimar chegou a ser preso em 2015, mas acabou solto um mês após a prisão, porque o prazo da prisão temporária havia expirado, segundo informou, na época, a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). Ele foi considerado foragido, após a emissão de um mandado de prisão em janeiro de 2017.

Adriana foi morta a pauladas e teve o corpo escondido no porão de casa. Eguimar jogou cal e concreto no corpo. Depois, ficou morando na casa durante 10 anos. A vítima só foi identificada porque estava com o uniforme do Detran-ES, onde trabalhava, além dos documentos.

Eguimar Ferreira de Souza cumpre pena no Centro de Detenção Provisória De Viana 2, segundo a Sejus.

2 – Marcos Itiberê Rodrigues de Castro

O comerciante Marcos Itiberê Rodrigues de Castro Caiado, hoje com 55 anos, está preso após ter matado seus dois filhos, Marcos Itiberê Rodrigues de Castro Caiado Filho, morto aos 9 anos, e Gabriela Colnago de Castro Caiado, assassinada aos 7. As crianças foram sequestradas pelo pai em 3 de maio de 2000 e depois levadas para o apartamento dele, na cidade de Vila Velha. Alguns dias depois, os dois foram espancados e mortos a tiros pelo próprio pai, Itiberê, que enrolou os corpos em um cobertor, colocou dentro de um closet e cimentou o local. O acusado tinha 36 anos na época.

Os corpos foram descobertos depois que o procurador da Justiça Carlos Itiberê de Castro Caiado, pai do acusado, decidiu ir ao apartamento do filho.

No local, ele encontrou os netos mortos, onze dias após o desaparecimento. Vizinhos tinham ligado para a polícia devido ao mau cheiro que saía do apartamento.

As crianças moravam com a mãe, que estava separada há um ano de Itiberê, que também foi acusado de matar o ex-marido de Jânia Colnago, Marco Antônio Pedrini, durante uma briga, pois Marco tentava impedir a agressão contra Jânia. O crime foi no dia 15 de outubro de 1999.

No dia 7 de agosto do ano passado, Itiberê fugiu a nado do Instituto de Reabilitação Social (IRS), em Vila Velha e foi encontrado na Ilha das Pombas, na baía de Vitória. Ele estava preso em uma unidade com estrutura antiga e que passava por desativação. Itiberê foi encontrado por marinheiros machucado e na água.

Antes de fugir, ele deixou uma carta revelando o plano de fugir, que foi entregue para um colega de cela. Na carta, Itiberê pedia perdão pela fuga e admitia a culpa na morte dos dois filhos. Hoje, Marcos Itiberê está preso na Penitenciária de Segurança Média I, em Viana.

3 – Silvio Fabiano de Carvalho Vieira

O pedreiro Silvio Fabiano de Carvalho Vieira, 42 anos, foi preso no dia 21 de dezembro de 2017 acusado de matar e concretar o corpo da namorada dele, a faxineira Graciele Santos Vieira, morta aos 32 anos, em uma chácara em Praia Grande, Fundão. Ele estava escondido em Ibirapuã, na Bahia. O crime aconteceu no dia 14 de abril de 2016.

Graciele foi estrangulada por Sílvio, após um ataque de ciúmes, segundo a polícia, por ter visto mensagens de outro homem no celular dela. O crime aconteceu durante uma briga. O pedreiro colocou o corpo da faxineira no carro dele, enrolado num tapete, e concretou no quintal da chácara onde ele trabalhava havia 15 anos.

Exames da arcada dentária da vítima ajudaram a identificar o corpo. Para despistar a polícia, Silvio chegou a registrar um boletim de ocorrência denunciando o desaparecimento da namorada.

Após ser preso, em depoimento, Silvio afirmou que chegou a sair do País para fugir da caçada da polícia, após ser expedido mandado de prisão contra ele. O acusado passou pela Argentina, depois voltou e foi para o Maranhão e acabou localizado no extremo sul da Bahia, próximo a Teixeira de Freitas.

Silvio Fabiano de Carvalho Vieira encontra-se no Centro De Detenção Provisória de Guarapari.

FONTE: TRIBUNA ONLINE