Mãe e filho conduzidos para a delegacia de Barra de São Francisco. Estelionato?

A Polícia Militar de Barra de São Francisco foi acionada na tarde desta quinta-feira(10 de agosto de 2017), onde uma mulher dizia ter sido vítima de estelionato.

Uma mulher, moradora de Barra de São Francisco comprou um aparelho celular pelo classificado e ainda falou com a polícia que o homem, um professor da cidade de Mantena usava fake de uma mulher pela internet, com objetivo de vender aparelhos celulares falsificados e sem nota fiscal.

Os militares conduziram mãe e filho que são da cidade de Mantena para a Delegacia de Polícia de Barra de São Francisco e após serem ouvidas foram liberadas.

Segundo informações do delegado plantonista será necessário uma perícia no aparelho que foi apreendido e o fake usado na internet é um crime digital.

Se passar por outra pessoa na internet é crime de Falsidade Ideológica e o usuário pode pegar até cinco anos de reclusão, mesmo que não haja o intuito de prejudicar quem teve o nome utilizado. Além disso, o perfil criado com a finalidade de obter vantagem ilícita, induzindo ou mantendo alguém em erro pode ser enquadrado no crime de estelionato, com o mesmo tempo de pena.

Especialista em Direito Digital e sócio do escritório Patricia Peck Pinheiro Advogados, Márcio Mello Chaves diz que “mesmo que não haja o intuito de prejudicar a pessoa, o uso da imagem sem a sua autorização pode gerar a obrigação de indenizar. Além disso, caso a rede social não permita que mais de um usuário seja registrado com o mesmo nome, a criação desse falso pode prejudicar a elaboração do perfil da própria pela pessoa”. 

O caso será decidido pelo delegado titular da Delegacia de Barra de São Francisco.

Orientamos as pessoas que gostam de comprar nos classificados que tenham muito cuidado e sempre exigir a nota fiscal, pois o “barato” de hoje pode resultar no caro de amanhã.

COMPARTILHAR