Juiz Edmilson Rosindo Filho é um dos homenageados pelo Tribunal de Justiça do ES

Mais de 500 servidores e 90 magistrados foram agraciados com o Prêmio Mérito Jurisdicional William Couto na tarde desta sexta-feira (07/6), no Salão Pleno do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), pelas boas práticas de gestão e pela eficiência no exercício de suas atividades jurisdicionais e administrativas desenvolvidas no ano de 2018.

Entre eles, estavam o juiz Edmilson Rosindo Filho e os servidores: Andre Kempim de Oliveira, Elizabeth Gomes da Silva, Geovanna Paula de Souza, Marta Pacheco Martins e Tardelli Xavier Agostinho do Juizado Especial Cível , Criminal e da Fazenda Pública.

O presidente do TJES, desembargador Sérgio Luiz Teixeira Gama, agradeceu aos premiados, magistrados e servidores, pela dedicação e competência no desempenho de suas funções, que, “apesar de todas as dificuldades vividas, conseguiram, heroicamente, alcançar critérios de produtividade e presteza, inclusive no alcance das Metas Nacionais do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), numa demonstração pública de competência e compromisso com a prestação jurisdicional e com o jurisdicionado”, ressaltou.

A desembargadora Janete Vargas Simões, coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) de Metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no TJES, agradeceu a todos os magistrados e servidores premiados, pelo empenho, compromisso e ética. “Ser reconhecido pela sociedade, ser reconhecido pelos nossos jurisdicionados, pelo trabalho efetivo prestado é nossa maior vitória! Essa vitória que vocês estão tendo hoje é uma vitória pessoal e institucional para todo Poder Judiciário”, disse a desembargadora para os homenageados.

A coordenadora do GT de Metas também ressaltou que, no próximo ano, espera que o prêmio tenha mais ganhadores, visto que o número de unidades premiadas aumentou consideravelmente no decorrer dos anos. Em 2017 e 2018, foram selecionadas 52 e 72 Varas, respectivamente. Já este ano, o número subiu para 90 unidades premiadas, entre elas estão 29 Juizados Especiais, que aumentaram significativamente sua participação ao longo das edições do prêmio.

A servidora Karine Sonegheti Dadalto, que atua no 4º Juizado Especial Cível da Serra, recebeu a premiação pela primeira vez este ano. Ela veio acompanhada do filho, o bebê Mateus, e ficou muito orgulhosa em receber o prêmio.

“É o reconhecimento do nosso trabalho. Nós estamos sempre dentro dos gabinetes e, às vezes, quem está de fora não conhece o trabalho que a gente exerce. Todos na Vara trabalham com muito amor e totalmente voltados para o jurisdicionado. Então, eu estou muito orgulhosa de estar aqui hoje, com o meu filho, principalmente”, disse a servidora.

O Prêmio Mérito Jurisdicional Desembargador William Couto Gonçalves foi instituído em 2017, como uma política de valorização, incentivo e justo reconhecimento do trabalho diário e contínuo desenvolvido pelos integrantes do Poder Judiciário. A premiação também é uma homenagem, in memoriam, ao desembargador William Couto.

O filho do desembargador, Érico Figueiredo Gonçalves, que participou da mesa de abertura, parabenizou os premiados, e ressaltou que o sucesso alcançado com este trabalho, que tanto tem honrado a magistratura e o Poder Judiciário capixaba, é proporcional à emoção vivenciada nesta tarde.

Durante a solenidade de premiação, o presidente do TJES lembrou que o saudoso desembargador Wiliam Couto Gonçalves é o verdadeiro homenageado com o prêmio, sendo um exemplo de cidadão e de magistrado.

“Doutor com notório em filosofia do Direito, pós-doutor em filosofia do Direito, doutor em Direito, mestre em Ciências jurídicas, especialista em Direito civil e Direito processual civil, especialista em Direito penal e Direito processual penal e especialista em Direito do estado, o patrono do prêmio sempre foi um exemplo de dignidade e de honradez, sendo merecida a escolha do seu nome para intitular a homenagem que está sendo outorgada”, destacou o desembargador Sérgio Luiz Teixeira Gama.

A cerimônia contou ainda com a participação conselheiro do CNJ, o juiz federal Fernando César Baptista de Mattos, que falou sobre a substituição do prêmio Justiça em Números pelo Prêmio CNJ de Qualidade, que será o novo selo de qualidade do Poder Judiciário. E do juiz gestor da Meta 2 do Conselho Nacional de Justiça no TJES, Marcelo Bressan, que antecipou o lançamento da ferramenta Painel de Gestão, em julho deste ano, que vai possibilitar uma melhor organização das unidades judiciárias.

Prestigiaram o evento, os desembargadores: Adalto Dias Tristão, Manoel Alves Rabelo, Sérgio Bizzotto Pessoa de Mendonça, Ronaldo Gonçalves de Sousa, Samuel Meira Brasil Júnior, José Paulo Calmon Nogueira da Gama, Carlos Simões Fonseca, Namyr Carlos de Souza Filho, Arthur José Neiva de Almeida e Fernando Estevam Bravin Ruy. Além do desembargador substituto Júlio César Costa de Oliveira, do juiz auxiliar da Corregedoria do CNJ Sérgio Ricardo de Souza, os juízes auxiliares da Presidência, Fábio Brasil Nery e Paulo César de Carvalho, e o secretário-geral do TJES, Marcelo Albuquerque.

A mesa de abertura foi composta pelo presidente do TJES, pelo procurador-geral do estado, Rodrigo de Paula; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Samuel Meira Brasil Júnior; a gestora do grupo de metas do CNJ no TJES, desembargadora Janete Vargas Simões, o conselheiro do CNJ, Fernando César Baptista de Mattos, presidente da Amages, juiz Daniel Peçanha Moreira, a diretora da saúde e previdência do Sindijudiciário, Valquíria Lopes de Oliveira, e Érico Figueiredo Gonçalves, filho do desembargador William Couto Gonçalves.

A premiação teve o apoio da Amages, do Sindijudiciário e do Sicoob Servidores.

FONTE: Repórter Barra