“Jads” da dupla sertaneja Jads e Jadson é vítima do “Boa Noite Cinderela” no Espírito Santo

O cantor sertanejo Jads, da dupla Jads & Jadson, foi vítima do conhecido golpe “Boa Noite Cinderela”, ao comemorar a vitória do presidente Jair Bolsonaro, no Triângulo, em Vitória.

Após fazer um show, em outubro do ano passado, o cantor decidiu ficar no Estado para curtir o domingo de eleição.

“Após as eleições presidenciais, a vítima se dirigiu até a Praia do Canto para comemorar. Lá, ele conheceu duas pessoas e com elas passou a beber e confraternizar. Em um dado momento, uma dessas pessoas ministrou algum tipo de droga ou substância entorpecente em sua bebida, vindo ele a ficar desacordado. Nesse momento ele teve seus pertences subtraídos”, explicou o delegado Henrique Vidigal, da Divisão de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio.

De acordo com o delegado, o sertanejo acordou desorientado na casa dos suspeitos e deu falta do relógio importado, da pulseira e de um cordão, que além de ser avaliado entre 80 e 100 mil reais, tinha enorme valor sentimental para ele. Estima-se que o prejuízo foi de quase R$ 300 mil.

Apesar de desconfiar, o sertanejo foi embora e só registrou ocorrência uma semana depois. Após o ocorrido, os bandidos tiveram muita dificuldade em vender as joias, então começaram a tentar extorquir o cantor, que, após meses, conseguiu um acordo para buscar os pertences no aeroporto de Vitória, por R$ 50 mil.

Já estava tudo certo para o encontro, mas a assessoria do sertanejo ficou com medo e entrou em contato com a Delegacia Especializada de Segurança Patrimonial, que interceptou o contato entre eles. Os policiais não tiveram dificuldade em reconhecer os seis criminosos, porque eles estavam utilizando as joias roubadas do cantor.

Já estava tudo certo para o encontro, mas a assessoria do sertanejo ficou com medo e entrou em contato com a Delegacia Especializada de Segurança Patrimonial, que interceptou o contato entre eles. Os policiais não tiveram dificuldade em reconhecer os seis criminosos, porque eles estavam utilizando as joias roubadas do cantor.

Joel Magnago, preso por receptação qualificada no exercício da atividade comercial (Foto: Divulgação/PCES)

Entre os quatro conduzidos à delegacia, está Joel Magnago, dono de uma tradicional joalheria da Vila Rubim, de 61 anos, e seu filho Thiago Domingos Magnago de 23, acusados de receptação qualificada no exercício da atividade comercial e penhor ilegal de ouro. Após a apreensão no aeroporto, a polícia enviou outra equipe à joalheria dos criminosos e encontraram diversas joias sem notas fiscais.

Pablo Coutinho Rangel foi autuado pelos crimes de extorsão, e usurpação de função pública (Foto: Divulgação/PCES)
Preso por receptação e penhor ilegal de ouro, Mário se identifica como agiota (Foto: Divulcação/PCES)
Thiago Domingos Magnago, preso por receptação qualificada no exercício da atividade comercial e penhor ilegal de ouro (Foto: Divulgação/PCES)

Além dos dois, também foram presos Mário Luiz Rodrigues e Pablo Coutinho, que se passava por um Sargento Coutinho, da PM, e mantinha contato direto com o cantor para fazer as chantagens. Outros dois suspeitos acusados de tentarem extorquir o cantor, conseguiram fugir do local.

Fonte:Tribunaonline