Exclusivo: Deputado federal é acusado de aplicar golpe de R$ 203 mil em empresário do Estado

Luis Miranda, do Distrito Federal, teria ficado com o dinheiro de quem aceitasse se tornar sócio dele no País e nos EUA

Em busca de investimentos com alta rentabilidade prometidos pelo hoje deputado federal Luis Miranda (Democratas-DF), o empresário do ramo de mármore e granito do Estado, Renato Vidigal, 41, é uma das dezenas de pessoas que acusam o parlamentar de aplicar golpes milionários em quem aceitasse se tornar sócio dele em supostos negócios no Brasil e nos EUA.

O caso veio a público no domingo, durante uma reportagem do Fantástico, da TV Globo.

A reportagem de A Tribuna conversou com Renato no apartamento dele em Guarapari, onde contou como ficou com um prejuízo de 203.800,00 reais, após conhecer Miranda numa viagem aos EUA, onde ele tinha uma empresa.

Vidigal afirmou que investiu 50 mil dólares (R$ 203.800,00), em outubro de 2017, para se tornar sócio na empresa de Luis Miranda, LX Holding.

Ao solicitar o resgate dos investimentos, o empresário não conseguiu reaver os valores do lucro e nem do que tinha investido.

A assessoria do deputado, em Brasília, confirmou que o deputado fez negócios com Renato Vidigal e que “ele está na lista para receber o valor investido”.

A Tribuna – Quando desconfiou que poderia ser um golpe?

Renato Vidigal – A partir de um ano não tinha descontos para o resgate. Solicitei o resgate após um ano e três meses, em janeiro deste ano. Toda vez que a gente vai cobrar, a assessora dele diz que está resolvendo, mas nunca termina de resolver.

Conversei com o deputado também, ele diz que vai vender tal carro para pagar, mas nunca vemos nada. Esses investidores que eles dizem que já receberam, não conhecemos nenhum ainda. Não dá para acreditar.

Quanto você investiu?

Eu investi US$ 50 mil na época. O investimento foi feito na empresa LX Holding, em outubro de 2017. Conheci as propostas, e achei realmente interessante. Contrato 100% vantajoso, de zero risco, que caso algo viesse a dar errado, ele assumiria 100% do prejuízo. Hoje, não é nada do que está acontecendo.

Quanto receberia de lucro?

Dos investimentos gerados, foi apresentado um lucro de 12% ao ano. Assim, se tivesse recebido em janeiro, eu teria recebido US$ 56 mil (o equivalente a R$ 228.256,00). Hoje, com um ano e 11 meses de investimento, chega a US$ 62 mil (R$ 252.712,00).

O que faria com esse dinheiro?

Era dinheiro que eu estava planejando levar minha família para os EUA. Era um dinheiro que eu poupei por mais de 10 anos, para investir em um novo patrimônio. Não aconteceu o resgate, não aconteceu a mudança, não aconteceu o investimento na minha empresa que eu planejei em abrir nos EUA, ou seja, não aconteceu nada.

O que você fez então?

Fechei minha empresa no Brasil, meu casamento acabou, tive que tirar meus filhos de escolas particulares. Meu filho mais velho foi morar com a avó em Minas Gerais, e os menores moram com a mãe em Cachoeiro. Ele bagunçou a minha vida inteira. Todo o planejamento de uma vida, acabou em um golpe.

Internado em hospital após passar mal

O deputado Luis Miranda, acusado de aplicar golpes milionários em pessoas que se tornaram sócios em suas empresas, uma no Brasil por meio de franquias da Fitcorpus – clínica de estética criada em 2008 por ele –, e outra criada por ele em 2014, nos Estados Unidos, foi procurado por A Tribuna.

A assessoria do deputado pediu informações sobre os sócios que deram entrevista e que alegaram prejuízo, para que fosse pesquisado se o associado estaria em uma “fila para receber” os valores devidos.

Os dados foram enviados e a assessoria confirmou que o empresário do ramo de mármore e granito do Estado, Renato Vidigal, 41, é um desses associados.

Também foi solicitada uma entrevista com o Luis Miranda, que foi confirmada com os dois assessores do parlamentar.

Entretanto, no fim da noite de ontem, depois de várias confirmações da assessoria, um dos assessores afirmou que “o deputado passou mal, devido a uma cirurgia recente e que ele estaria no hospital”. O motivo seria não ter seguido as recomendações médicas.

Foi solicitada, então, ao menos uma nota para explicar as acusações. Até o fechamento desta edição, a nota não foi enviada.

Partido pede esclarecimento a parlamentar sobre denúncia

O deputado federal Luis Miranda, eleito pelo Distrito Federal com mais de 65 mil votos, acusado de aplicar golpes milionários no Brasil e nos EUA, vai ter que se explicar para a Executiva Nacional do Democratas (DEM).

Ontem, a cúpula do partido pediu ao deputado esclarecimentos sobre as acusações, rebatidas por Miranda.

Em nota, o partido afirma ter sido comunicado que Miranda vai apresentar sua manifestação ao DEM até amanhã. “O Democratas vai continuar acompanhando os desdobramentos do caso”, informou o texto.

A direção do DEM avalia ainda a necessidade de abrir processo disciplinar interno. Para este caso, se houver sanção, a penalidade vai de notificação à expulsão.

Miranda também responde a quatro processos no Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal. Todos têm relação com compra de votos e abuso de poder econômico na campanha de 2018. O deputado nega as acusações.

Áudio ensina como escapar de notificações da Justiça

Um áudio divulgado pela TV Globo mostra o deputado Luis Miranda (DEM-DF) explicando suposta estratégia para escapar das notificações da Justiça e dar um jeito de nunca ser intimado. Ele explicou o plano em uma reunião com funcionários. O conteúdo está anexado a um dos processos contra Miranda.

A estratégia era mandar que os funcionários dissessem que a Fitcorpus não funcionava no local onde estava. O juiz, então, perguntaria a quem o processou onde seria a empresa.

Quando a vítima respondesse que era no mesmo lugar, o juiz diria que o oficial de Justiça foi ao local e descobriu que ali funcionava outra empresa.

No áudio, o próprio Luis Miranda disse que a medida era “imoral”, mas admitiu que, assim, “a Justiça não pode fazer nada”. “Ela trava se ela não acha a empresa”.

Fonte: Tribuna Online