Dia Mundial do Doador de Sangue: equipe hospitalar esclarece dúvidas sobre a doação

Tipos de sangue com RH negativos (A-, B-, AB-, O-) são mais raros de ser encontrados, principalmente o tipo O-.

Sexta-feira , 14 de junho, o Dia Mundial do Doador de Sangue. É incontestável que a doação de sangue é importantíssima para salvar vidas. Quando coletado, o sangue é separado em hemoglobina, plaquetas e hemácias, e pode salvar até três vidas. A doação é rápida, não deixa o indivíduo fraco e são retirados apenas 450 ml de sangue. Mesmo sendo tão simples, ainda existem mitos e questionamentos que rodeiam a sociedade sobre o tema.

O Banco de Sangue do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI) presta serviços de hemoterapia aos pacientes da própria unidade e também a outras instituições em 16 municípios da macrorregião sul do Espírito Santo. É uma demanda alta que somente com doações regulares é possível cumprir. Dessa forma, especialistas do hospital esclarecem dúvidas frequentes sobre a doação e fazem apelo para que as pessoas doem sangue.

1. Porque é de extrema importância doar sangue?

Para determinados casos clínicos não há medicação que tenha eficácia no tratamento substitutivo, somente os componentes sanguíneos. Em outras palavras, se os pacientes que possuem essa necessidade não receberem transfusão de sangue, ficarão sem tratamento adequado, tornando-se suscetíveis a todo tipo de dano, inclusive o óbito. O sangue é uma produção corpórea que, por força de legislação, não pode ser negociado em qualquer hipótese. Portanto, a doação é um ato de solidariedade e amor que salva vidas.

2. É costumeiro vermos campanhas de doação de sangue para determinada pessoa. As doações recebidas em nome de pacientes são encaminhadas para ele ou qualquer pessoa que necessite poderá usufruir?

As doações direcionadas a determinados pacientes integram o estoque geral do Serviço de Hemoterapia (Banco de Sangue), sendo utilizadas em quem tem a necessidade. Essa doação direcionada é chamada de doação de reposição e é extremamente importante para não deixar zerar o estoque, o que comprometeria o atendimento dos pacientes que necessitam de transfusão, principalmente os casos de emergência.

3. É fundamental receber doações de todos os tipos de sangue, porém existem algum que é especial?

Todo e qualquer tipo sanguíneo é necessário e bem vindo. No entanto, tipos de sangue com RH negativos (A-, B-, AB-, O-) são mais raros de ser encontrados, principalmente o O-. Pacientes que possuem a tipagem O- só podem receber o respectivo tipo sanguíneo. Assim, devido sua raridade, é difícil tê-lo no estoque e encontrar doadores. Exatamente por isso temos maior necessidade de encontrar doadores aptos para esse tipo de sangue.

4. Em que situações uma pessoa pode vir a precisar de transfusão de sangue?

São diversos casos que levam os pacientes a necessitarem de receber transfusão de sangue. Os principais são hemorragias (perda de sangue) causadas por traumas, cirurgias, entre outros. Além disso, necessita-se de transfusão pacientes com diagnóstico de doenças oncohematológicas, como a leucemia, que exige muitas transfusões durante o tratamento. Pode-se citar ainda pacientes das outras referências como doenças cardíacas, oncológicas, hemodiálise, bem como diversas outras.

5. Quais as principais recomendações que são feitas para as pessoas que desejam se tornarem doadoras?

Ter entre 16 e 69 anos. Além disso, é necessário ter acima de 50 quilos, estar bem de saúde, ter dormido pelo menos 6 horas na noite anterior a doação, evitar ingerir alimentos com alto teor de gordura, (principalmente derivados do leite), não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 nem fazer uso de drogas ilícitas, ter documento com foto no momento da doação e muito altruísmo.

6. Quais os fatores que impedem uma pessoa de doar de sangue?

É importante frisar que o serviço de hemoterapia prima pela saúde tanto do doador quanto do receptor do sangue. Não podem realizar doação de sangue pessoas que já tiverem contato com doenças, tais como as Doenças Sexualmente Transmissíveis, hepatite, chagas, entre outras. Além disso, alguns medicamentos e procedimentos médicos, por segurança, impedem a doação. Mas toda e qualquer dúvida a esse respeito pode ser sanada durante a triagem clínica com os profissionais do setor, realizada antes da doação de sangue.

FONTE: FOLHA VITÓRIA