Construção mais antiga de Vitória vai passar por restauração

A Capela de Santa Luzia é tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Mais de R$ 300 mil serão investidos nas obras de restauração

A Capela de Santa Luzia, considerada a mais antiga construção da capital do Espírito Santo e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1946, vai passar por restauração. A Ordem de Serviço para início das obras será assinada pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, nesta terça-feira (16), no Palácio Anchieta.

A igreja vai receber uma ampla obra de restauro. Serão investidos, na recuperação do edifício, mais de R$ 302 mil, em recursos do Estado, com acompanhamento técnico do Iphan. A construção é da arquitetura colonial e preserva, até hoje, materiais construtivos originais. O local pertenceu à fazenda que deu origem à Vila de Vitória, fundada em 1551.

O processo de restauro compreende serviços no telhado, alvenarias, pisos, esquadrias, forro, substituição da fiação elétrica e da iluminação, substituição de elementos hidráulicos e restauração das pinturas das alvenarias, forro e do retábulo da Capela-Mor.

Considerado um bem de grande valor histórico e cultural, a Capela de Santa Luzia é um marco do início da colonização do Espírito Santo. O prédio funcionou como Igreja até 1928, depois como Museu de Arte Sacra do Espírito Santo durante o período de 1950 a 1970, também já foi Galeria de Arte e Pesquisa da Universidade Federal do Espírito Santo entre 1976 a 1994 e abrigou a Superintendência do Iphan-ES entre 1996 e 2001.

FONTE: FOLHA VITÓRIA