Caso menino Bernardo: julgamento começa nesta segunda (11)

Começa na segunda-feira (11), em Três Passos, no Rio Grande do Sul, o júri dos acusados de participar do assassinato do menino Bernardo Boldrini. O crime aconteceu há quase cinco anos e o pai, madrasta e mais duas pessoas estão entre os réus.

O médico Leandro Boldrini, pai de Bernardo e a ex-enfermeira Graciele Ugulini, madrasta do garoto, respondem por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Leandro também é réu por falsidade ideológica.

A previsão é que dezoito testemunhas sejam ouvidas, além dos quatro réus. Sete jurados vão decidir se Leando, Graciele e os irmãos Evandro e Edelvânia serão culpados ou inocentes. A estimativa é que o processo de julgamento dure uma semana.

Bernardo, que foi assassinado aos 11 anos, chegou a reclamar de maus-tratos antes do crime. Ele foi dado como desaparecido em 04 de abril de 2014 e seu corpo encontrado em uma cova 10 dias depois. Laudos periciais atestaram a presença de Midazolam no estômago, rim e fígado do menino. A superdosagem do medicamento teria sido a causa da morte da criança.