Brasil ignora altitude, mas vê atuação de gala do goleiro da Bolívia e fica no 0 a 0 em La Paz

  • A altitude de 3.640 metros de La Paz não foi problema para a Seleção. Por vezes, o gramado do Estádio Hernando Siles atrapalhou mais. O real problema atendeu pelo nome de Carlos Lampe. O goleiro do Huachipato (do Chile) parou o Brasil de Tite nesta quinta-feira e foi o grande responsável pelo empate por 0 a 0 pelas eliminatórias. Uma coisa é certa: Neymar e Gabriel Jesus terão pesadelos com o camisa 1 boliviano por alguns dias.

  • DESTAQUEO JOGO

    O Brasil ignorou a altitude de La Paz e dominou o jogo. A Bolívia só assustou poucas vezes em chutes de longe – chegou a acertar o travessão de Alisson. Mas foi só. Tirando alguns erros bobos no início, a Seleção logo se adaptou à altitude e impôs sua qualidade técnica. Só faltou combinar com o goleiro Carlos Lampe para que a boa atuação terminasse em vitória. Foram 19 finalizações e 12 chances claras de gol. A grande maioria parou em Lampe. Neymar tentou de fora da área, de dentro da área, por cobertura, soltando a bomba… Paulinho tentou de cabeça. Jesus perdeu duas chances na cara do gol. Willian tentou em chute cruzado. Todos eles pararam em Lampe.

  • DESTAQUECLASSIFICAÇÃO E PRÓXIMOS JOGOS

    Com o empate, a Seleção foi aos 38 pontos e segue na liderança isolada das eliminatórias. A Bolívia, penúltima colocada, chegou a 14. O Brasil encerra a sua participação nas eliminatórias diante do Chile, na próxima terça-feira, às 20h30 (de Brasília), na Arena do Palmeiras. No mesmo dia e horário, a Bolívia se despede contra o Uruguai em Montevidéu.

  • DESTAQUELAMPE X NEYMAR

    Foi o principal duelo do jogo. Em pelo menos cinco vezes, o camisa 10 da Seleção parou em Carlos Lampe. Teve chute de fora da área, de dentro da área, tentativa por cobertura. Até com o rosto o goleiro da Bolívia evitou que Neymar marcasse. Ele também impediu um gol feito de Gabriel Jesus. Foi o nome do jogo.

  • DESTAQUE ALTITUDE?

    Os 3.640 metros de La Paz não foram um problema para a Seleção. Tirando alguns erros de passe bobos por problemas com a velocidade da bola, o Brasil dominou o jogo quase sempre com mais de 60% de posse de bola. O gramado irregular atrapalhou mais do que o ar rarefeito.

  • DESTAQUEGRAMADO CHEIO

    Após o apito final, foram os policiais bolivianos que tiveram trabalho. Enquanto Neymar trocava a camisa com o goleiro Carlos Lampe, seguranças correram para conter torcedores que entraram no gramado tentando algum contato com os ídolos. Tudo rapidamente contornado.

  • DESTAQUESEGUE O TABU

    Lampe impediu a Seleção de quebrar uma longa escrita. Com o empate por 0 a 0, o Brasil segue sem vencer a Bolívia em La Paz há 36 anos. A última vitória foi em 1981: 2 a 1, gols de Sócrates e Reinaldo.

  • DESTAQUESÓ 28 MINUTOS

    Thiago Silva foi uma das novidades na escalação da Seleção em La Paz. Tite queria dar mais minutos ao zagueiro ao lado de Miranda. Mas a experiência durou pouco tempo: apenas 28 minutos. Thiago sentiu um problema na coxa direita e foi substituído por Marquinhos, que até então tinha sido titular nos dez jogos de Tite nas eliminatórias.

  • DESTAQUE SEM SUSPENSOS

    Oito pendurados entraram em campo pela Seleção nesta quinta: Daniel Alves, Miranda, Casemiro, Paulinho, Fernandinho, Renato Augusto, Neymar e Gabriel Jesus. Nenhum deles foi advertido e Tite terá todos à disposição para o jogo da última rodada contra o Chile. Caso algum deles seja advertido na próxima terça, não terá de cumprir suspensão na estreia da Copa do Mundo. Apenas em caso de cartão vermelho.

  • DESTAQUE“MEIO” BRASILEIROFilho de pai brasileiro, Marcelo Moreno chegou a vestir a camisa da Seleção nas categorias de base, mas optou por defender a Bolívia ao se tornar profissional. Com o coração dividido, posou para foto ao lado de Neymar e companhia em La Paz.

COMPARTILHAR